Dicas de pneu e calibragem para a sua speed

As bicicletas de estrada (speed) são popularmente conhecidas pela sua velocidade. Essa fama se deve muito ao fato das suas especificações, principalmente em relação à largura do pneu. Quem nunca ouviu “com esse pneu fino dá até pra voar na bicicleta”. Sim, o pneu “fino” da bicicleta de estrada é o detalhe que mais se destaca na bicicleta. O pneu certo, com a calibragem correta e a estrada perfeita podem fazer você embalar em velocidades incríveis.

Sem dúvida, a velocidade é o foco do ciclismo de estrada. Para isso, o pneu é um grande aliado para lograr êxito nesse objetivo. Assim como todos os acessórios e equipamentos de ciclismo, os pneus possuem variações de modelos para cada tipo de ciclista. Certo que, entre tantas opções é essencial conhecer as características de cada pneu para um melhor desempenho e uma pedalada com segurança e conforto.

Espessura

O padrão é que o tamanho dos pneus para bicicleta de estrada sejam em 700mm. As variações ocorrem na espessura do pneu, que podem variar de 20mm a 28mm. Essa especificação pode ser encontrada na lateral do pneu: 700×23, 700×25, entre outras combinações de tamanho e espessura. Em sua maioria, além do tamanho, os pneus para estrada são lisos, com poucos sulcos, mais voltados para evitar a aquaplanagem e trabalhar a aderência da bicicleta. É possível, ainda, encontrar modelos para uso em estradas mais irregulares com ranhuras nos pneus para melhor aderência.

O significa essa diferença de espessura?

Essa variação na espessura, entre 20mm e 28mm, é perceptível a olho nu e, mais ainda, durante a pedalada. No olhar é fácil identificar quando o pneu é mais largo que o outro. Tecnicamente, um pneu mais largo possui mais conforto, enquanto que o pneu mais fino gera um maior desconforto.

Um pneu mais fino, consequentemente, se torna mais vulnerável às adversidades de um percurso. O grande vilão do ciclista de estrada são os furos. Nas rodovias, por exemplo, é comum encontrar muita sujeira, como pequenas pedras e cacos de vidro, que aumentam a incidência de furos. Com um pneu mais largo, como por exemplo o 28mm, os furos, assim como as famosas “mordidas de cobra”, tendem a diminuir. “No Brasil o mais comum é a utilização de pneus entre 23mm e 25mm de espessura. Importante lembrar que não é somente a largura do pneu que pode fazer a diferença, mas sim a calibragem”, comentou André Formigão, profissional da Magazine Bike Show.

Sim, e a calibragem?

“Um pneu com espessura menor exige mais pressão. Já o mais largo, exige uma pressão menor. Uma calibragem alta, na especificação máxima recomendada de cada modelo, pode deixar o pneu duro como uma pedra. Isso pode fadigar o ciclista, deixar seu braço dolorido e tornar a pedalada desconfortável”, disse Formigão.

“Um pneu com espessura mais larga, entre os limites do 23mm e do 25mm, que é o mais comum em nosso país, pode equilibrar a balança entre o conforto e a velocidade”, registrou. “Nem sempre, porém, é recomendado colocar a pressão máxima, justamente porque é preciso saber do perfil do ciclista, como o peso, e do tipo de estrada. Nesse caso, é necessário encontrar o meio termo e não deixar o pneu com uma pressão baixa e nem muito alta, passando do limite máximo recomendado”, acrescentou André.

De qualquer maneira, pensando em tudo isso, a dica é: sempre tenha um kit completo para remendo. Sugerimos levar os seguintes itens: bomba, câmara reserva (2 se possível), espátulas, cilindro e aplicador de C02, remendo, cola e jogo de chave.